Glória do desporto nacional!

Oh, Internacional

Que eu vivo a exaltar

Levas a plagas distantes

Feitos relevantes

Vives a brilhar

Correm os anos, surge o amanhã

Radioso de luz, varonil

Segue a tua senda de vitórias

Colorado das glórias

Orgulho do Brasil

quarta-feira, 13 de maio de 2020

Charges e o futebol








O jornalismo há tempos utiliza charges como uma linguagem direta com seus leitores.
O Sport Club Internacional ao longo de sua trajetória editorial, desde os anos 50, contou com a contribuição inteligente de chargistas para levar aos seus torcedores a informação de forma graciosa e humorada.
Através da charge qualquer assunto fica mais leve, no futebol então… a charge é a possibilidade de "zoar" conservando as amizades e usando a inteligência.





Assim foi quando os colorados anunciaram a construção do seu estádio às margens do Guaíba, logo vieram as gozações. A mais famosa foi a do chargista Xico Stockinger, no jornal "Folha da Tarde" em setembro de 1959. Onde o presidente da época, Efraim Pinheiro Cabral, aparece visitando as obras, num submarino. Os que não acreditavam anunciaram a venda de bóias cativas, ao invés de cadeiras.

Em alguns casos, é importante olharmos estas publicações lembrando que são de outros tempos, outros costumes e com certeza sem uma consciência social e de respeito às pessoas que hoje se sabe são as corretas de convivência humana.



Fonte:
Revistas Coloradas - anos 1957/1958/1959
Revista O Sacy/1960
Folha da Manhã - Ed. Extra 14/12/1975
Jornal do Inter/1976
Revistas Gigante Milionário - 1979
Revista Grandes Clubes Brasileiros - Internacional - Nº5 1971, reprodução
Acervo /Arquivo Histórico SCI/Biblioteca Zeferino Brazil/Sport Club Internacional
Revistas disponíveis na Biblioteca Zeferino Brazil /FECI - Sport Club Internacional - 2º andar do Gigantinho*
*No momento fechada devido ao Isolamento Social

sábado, 4 de abril de 2020

Em tempos de distancias uma lembrança de união fazendo a diferença: uma imagem que traduz a força coletiva

Nós que cuidamos da memória colorada, além de profissionais somos torcedores e apaixonados pelo Sport Club Internacional. Cada um fazendo a sua parte, preservando, divulgando, narrando emoções. Juntos cuidamos para que as atuais e futuras gerações não esqueçam dos feitos relevantes do nosso Inter.
Parabéns Inter!
Parabéns Gigante!
Beira-Rio o estádio de todos... e feito por nós!
 
Aceito o convite,e também desafio,de escolher uma imagem que me traduzisse tanto sobre o nosso Sport Club Internacional. Na verdade trago duas imagens, a primeira é o orgulho de um (s) Colorado (s), expresso em flâmula, por ter participado do maior legado de um clube ao seu torcedor: a construção do Beira-Rio. E a outra é a nossa casa, a casa do clube do povo, em sua nova configuração.
O feito construção do Beira-Rio foi o maior movimento solidário em prol de uma paixão, de um amor, um verdadeiro legado….nos artigos deste blog o leitor pode comprovar, com fontes precisas, a importância deste estádio para o futebol brasileiro e toda sociedade gaúcha.
Hoje, ao respeitar o isolamento social necessário, trabalhando de casa sempre que possível, peço um olhar detalhado sobre o Beira Rio...pois há nele a representação real da força e da grandeza deste Clube...o Clube de Todos!
Ana Bicca - Bibliotecária 

O clube é de todos, por isso é gigante

Quando o Inter completou 100 anos de existência eu percorri pela primeira vez seus corredores não mais apenas como torcedora mas como alguém que iria desvendar mistérios e guardar seus tesouros.
Hoje, ainda cada descoberta, cada história contada e compartilhada por aqueles que fizeram e ainda fazem parte de seu cotidiano, traz a mesma emoção deste primeiro dia. A emoção de torcedora juntou-se com a da profissional e está presente em cada momento guardado em forma de documento ou imagem que tenho o privilégio de estar como guardiã. São tesouros que arquivamos para que as memórias de lutas, vitórias e superações não se percam. Para que sempre possamos aprender com o passado para projetar um futuro melhor.
Esta flâmula para mim traduz o que o clube, nestes 111 anos representa, o clube do povo, sem distinção de cor ou classe, o clube de todos e que por isso é gigante.
E para receber seus torcedores fez surgir das águas um estádio com alma onde ecoam os gritos dos colorados que vibram com seus ídolos e suas vitórias. Minha homenagem vem através da foto que faz parte do acervo doado pelo fotógrafo Chico Sisto, torcedor colorado e por um período também foi colaborador do clube.
Yzara Menegaz - Arquivista




terça-feira, 17 de março de 2020

Tesouros do Colorado







Embora estejamos convivendo com a triste realidade de vermos o mercado editorial brasileiro se esfacelando, só na última década mais de 20% deste setor entrou em falência no Brasil, vemos a resistência de editoras highlanders e agradecemos por resistirem por nós.








Na vibe de falar e se deliciar por e com obras de literatura, juntamos nossa força ao combate da possibilidade de leitores não terem mais opção de escolhas. Assim, somando e concentrando tudo de bom que uma excelente leitura pode trazer ao seu leitor, vamos contar sobre uma coleção maravilhosa, editada pela Francisco Alves no início do século passado.























Essas relíquias , por si só, já representariam uma resistência a velha desculpa de que livro é caro. Editadas no inicio do século passado, em versão de bolso - para ser mais acessível -, esta coleção nominada como Viagens Maravilhosas aos Mundos Conhecidos e Desconhecidos , guarda a oportuna chance do leitor deliciar-se com os textos criativos e futuristicos de Júlio Verne. 


Esta Coleção, inteira, está a disposição de todos os leitores que sentirem vontade de conhece-la e desfruta-la. Ela foi doada há 30 anos atrás e compõem o acervo precioso da Biblioteca Zeferino Brazil, a biblioteca COLORADA.

Ao agradecer a editora Francisco Alves, agradecemos ao doador, que nos agraciou com a oportunidade de exercitar o que de fantástico se tem no hábito de ler: viajar e crescer, enriquecendo a mente e a alma através da boa criatividade humana.
Bibliotecária Ana Maria Bicca

segunda-feira, 2 de março de 2020

Trajetória da conquista do Bi da América


Neste ano completamos 10 anos da conquista do Bi da Libertadores da América e não poderíamos deixar passar em branco. Vamos relembrar a trajetória desta conquista emocionante e inesquecível para o clube e nossa torcida, foi um campeonato difícil, como toda disputa pela Libertadores, mas que com força, garra e apoio da torcida o time foi empurrado sempre e no final soltamos o grito de campeão da América mais uma vez.

Curiosidade: '' Bicampeão da América, o Clube do Povo disputou sua primeira Conmebol Libertadores em 1976. Campeão nacional na temporada anterior, o Colorado comprovou sua vocação pioneira ao fincar a bandeira gaúcha no torneio continental. Primeira equipe do Rio Grande do Sul a conquistar o Brasil, foi também o Inter responsável por iniciar a história de nosso Estado no certame hoje cobiçado por todo o país.''


                                  
     
O grupo campeão






Fonte: Revista do Inter Ed 54
Primeira fase
Inter 2x1 Emelec (23/2)



'' A melhor maneira de iniciar uma competição como a Copa Libertadores da América é vencendo. E foi assim que o Inter deu início a sua trajetória rumo ao bicampeonato continental. A equipe conquistou uma vitória por 2 a 1, de virada, sobre os equatorianos do Emelec dentro do Beira-Rio com mais de 39 mil torcedores. Os visitantes abriram o placar no início da segunda etapa, mas Nei, com um belo chute de fora da área, encontrou o ângulo do gol adversário e empatou a partida. No finalzinho do jogo, Alecsandro, após triangulação de Andrezinho e Walter, botou a bola nas redes e carimbou o triunfo colorado na partida de estreia. ''

Deportivo Quito 1x1 Inter (11/3)


'' O primeiro jogo fora de casa do Inter foi recheado de emoções. Além de enfrentar o Deportivo Quito, a altitude foi mais uma dificuldade encontrada pela equipe colorada. Os equatorianos abriram o placar, porém, logo em seguida, Giuliano empatou para o Inter. O momento mais marcante do confronto ocorreu na segunda etapa, quando o goleiro Pato Abbondanzieri brilhou. Após um lançamento do jogador do Deportivo Quito, o goleiro colorado saiu para fazer a defesa dentro da grande área. Quando ele agarrou a bola, o atacante equatoriano o deslocou e os dois caíram no chão. Para surpresa geral, o árbitro marcou pênalti inexistente. Todos os jogadores foram reclamar do juiz, tentando convencê-lo do erro que tinha cometido. Pato, contudo, com sua experiência multicampeã, correu para falar com o bandeirinha, que tinha uma visão mais privilegiada do lance. O auxiliar então chamou o árbitro e a penalidade máxima foi anulada corretamente. O Inter voltava de Quito com um ponto precioso. ''

Cerro-URU 0x0 Inter (18/3)


'' Era a terceira partida do Inter na fase de grupos e a segunda longe do Beira-Rio. Mas nem dava para levar isso em conta. O confronto contra o Cerro, do Uruguai, ocorreu em Rivera, cidade fronteiriça com o Brasil. Cerca de 23 mil colorados lotaram o estádio Atílio Paiva e deram um show. Parecia confronto dentro de casa. Apoio total, mas empate sem gols no placar, apesar do Internacional ter criado as melhores oportunidades da partida. ''

Inter 2x0 Cerro-URU (31/3)


'' Mais de 36 mil colorados fizeram uma linda festa no Beira-Rio e empurraram o time para a segunda vitória na Libertadores. O Inter venceu por 2 a 0 e alcançou a liderança do grupo. Walter chutou e o zagueiro uruguaio Ibañes tentou cortar, mas a bola acabou entrando. Gol contra! O segundo nasceu do oportunismo do artilheiro Alecsandro, que aproveitou rebote do chute de Giuliano para dar números finais à partida.''

Emelec 0x0 Inter (14/4)


'' A batalha em Guayaquil, no Equador, foi dura. O Inter encarou o Emelec buscando o triunfo fora de casa, mas não conseguiu. Pato Abbondanzieri novamente foi brilhante e impediu o gol do adversário. No final, aos 47min, por pouco Andrezinho não deu a vitória ao Inter. O meia acertou uma pancada no travessão do goleiro equatoriano, na melhor chance do time na partida. ''

Inter 3x0 Deportivo Quito (22/4)


 

''Noite de grande futebol com classificação do Inter para as oitavas de final da Libertadores. O único resultado que interessava contra o Deportivo Quito no Beira-Rio era a vitória. Melhor ainda com goleada de 3 a 0. Logo no início do jogo, Andrezinho bateu de perna esquerda, no ângulo, e fez o primeiro. Bolívar, de cabeça, aumentou a vantagem no segundo tempo. No apagar das luzes, Giuliano partiu para a jogada pessoal e soltou uma bomba de pé esquerdo, sem chances para o goleiro. Golaço! O Inter carimbava passagem ao mata-mata da Libertadores.''


Oitavas de final

Banfield 3x1 Inter (28/4)


'' Foi uma derrota dura de aceitar, já que o time colorado foi severamente prejudicado pelos erros da arbitragem. Teve pênalti não marcado, expulsão injusta e gol irregular do adversário. O Inter perdeu por 3 a 1 (Kleber marcou o gol colorado e depois acabou sendo expulso) para o Banfield, na Argentina, e ficou na obrigação de vencer por pelo menos dois gols de diferença na partida de volta.''


Inter 2 x 0 Banfield (6/5)




'' Com uma atuação marcada pela garra, o Internacional venceu o Banfield por 2 a 0 e garantiu a classificação. Foi uma noite inesquecível de Libertadores no Beira-Rio. Time e torcida atingiram perfeita sintonia e sufocaram o adversário do primeiro ao último minuto. A missão colorada de reverter o resultado do primeiro duelo na Grande Buenos Aires foi alcançada com êxito graças a esta sinergia no Gigante. O primeiro gol, marcado por Alecsandro, saiu em um momento-chave da partida, no finalzinho do primeiro tempo, incendiando o time colorado com ainda mais motivação. Na etapa final, Walter ampliou e garantiu a vaga entre os oito melhores da América.''

Quartas de final
Inter 1x0 Estudiantes (13/5)



'' Foi um jogo duríssimo, contra um qualificado adversário que veio a Porto Alegre disposto a não dar espaços em campo. Mas o Inter foi persistente e venceu o atual campeão da América por 1 a 0, com um gol de Sorondo aos 42min do segundo tempo, garantindo uma importante vantagem para a partida de volta, em Quilmes, na Argentina.''


Estudiantes 2x1 Inter (20/5)




'' Foi a legítima derrota com sabor de vitória. O time colorado perdia por 2 a 0 para o Estudiantes até os 43min do segundo tempo. A torcida argentina já comemorava, mas em meio à espessa nuvem de fumaça provocada pelos sinalizadores acesos nas arquibancadas do Centenário, em Quilmes, Giuliano marcou o gol da classificação, eliminando o atual campeão da América. Como havia vencido por 1 a 0 no Beira-Rio, o resultado serviu para que o Inter avançasse à semifinal.''

Semifinal
Inter 1x0 São Paulo (28/7)



'' Apoiado por mais de 48 mil torcedores, o Inter teve que lutar muito para conquistar a importante vitória no primeiro enfrentamento da semifinal, no Beira-Rio. O São Paulo armou um ferrolho em frente à sua área e praticamente abdicou do plano ofensivo durante toda a partida. Foi o legítimo jogo em que apenas um time tomou a iniciativa na busca pelo gol. Mas aos 22min da etapa final, Giuliano fez o Gigante explodir de alegria: meia-atacante recebeu na área de costas para o gol, fez o giro em cima dos zagueiros, e chutou com categoria, no cantinho direito, para fazer 1 a 0. Ceni ficou estático no centro do gol, totalmente sem reação. O garoto mais uma vez saiu do banco de reservas para decidir uma partida.''

São Paulo 2x1 Inter (5/8)




'' Foi emocionante a classificação colorada à final da Libertadores. O Internacional perdeu por 2 a 1 no Morumbi, mas o gol qualificado de Alecsandro serviu para que a equipe do técnico Celso Roth ficasse com a vaga. Mais de 57 mil são-paulinos viram o Inter triunfar mais uma vez na capital paulista. Os cerca de 2 mil colorados presentes no estádio puderam gritar a plenos pulmões: "O Morumbi virou o Beira-Rio!". ''

Final
Chivas 1x2 Inter (11/8)



'' Foi mais uma atuação de gala do Internacional na Libertadores. O time colorado jogou com autoridade em Guadalajara e mostrou que estava ávido pelo bicampeonato da América. Após um primeiro tempo primoroso, o Campeão de Tudo sofreu o gol em um lance isolado, bem no finalzinho da etapa. Mas existia uma convicção no vestiário colorado no intervalo: a virada era possível. E assim foi. No segundo tempo, o Inter lançou-se ao ataque e marcou dois belos gols de cabeça, com Giuliano e Bolívar. Foi uma vitória de encher de orgulho a maior e melhor torcida do Rio Grande. A taça mais cobiçada do continente estava ainda mais próxima do Beira-Rio. ''

Inter 3x2 Chivas (18/8)


'' A conquista do bi da América foi alcançada de forma natural pelo Inter. O time colorado venceu o Chivas por 3x2 , novamente de virada, em um Beira Rio lotado. Fábian marcou para os mexicanos no final do primeiro tempo, mas assim como já havia sido em Guadalajara, o Inter voltou com uma postura extremamente agressiva na etapa final e mudou o placar. Rafael Sobis empatou aos 16 min, Leandro Damião- que havia entrado no lugar de Rafael Sobis - virou aos 30 min e Giuliano ampliou aos 44 min. Araujo ainda descontou no pagar das luzes, mas o Gigante já comemorava o título. A placa está cravada na taça Libertadores da América - Internacional - Campeão de 2010. Assim como foi em 2006 , o time colorado teve o privilégio de erguer o troféu no gramado do Beira Rio, para deleite da maior e melhor torcida do Rio Grande. A América foi repintada de vermelho nesta antológica conquista. ''










Fonte: Revista Goool 27 anos – ed 154 – 2010 
Revista do Inter edição 54 
Acervo /Arquivo Histórico SCI/Biblioteca Zeferino Brazil/Sport Club Internacional
Revistas disponíveis na Biblioteca Zeferino Brazil /FECI - Sport Club Internacional - 2º andar do Gigantinho